Super-Humanos #4 - Ana Ferro, Voluntária dos Xanecos




Confessem já tinham saudades dos Super-Humanos não já?
Eu sei que sim e para vos compensar a ausência durante o mês de Março, começamos a semana por aqui com uma daquelas miúdas a quem apetece dar um abraço gigante e agradecer-lhe por ser assim boa pessoa, genuína e apaixonada pelo que faz.

A Super-Humana deste mês chama-se Ana Ferro e é voluntária na associação Xanecos e para além de ser extremamente simpática e atenciosa, mostrou durante esta entrevista que merece muito aparecer neste projecto sabem porquê? A Ana faz normalmente voluntariado sozinha e por isso tinha poucas fotos para ilustrar este post e sabem o que fez? Pediu-me para entregar a entrevista um pouco mais tarde, muniu-se de um selfie stick e lá foi ela tirar fotos bonitas para partilhar com todos vocês o maravilhoso trabalho que faz pela Xanecos. 

E isto meus caros amigos, isto é ser um humano excepcional, isto é ser um humano que não baixa os braços à primeira dificuldade, isto é sem dúvida ser uma Super-Humana. 
Curiosos com a Ana? É lerem a entrevista abaixo.


1 – Ana antes de mais fala-me sobre ti?

Sou uma rapariga de 26 anos bastante simples que adora pessoas de bom coração, animais, boas energias e bons livros. Trabalho na área da saúde e do bem-estar e sou professora de Educação Física do 1º ao 4º ano de escolaridade.

2 – Como surgiu a Xanecos na tua vida?

Embaraçoso ou não, a verdade é que me juntei à associação Os Xanecos depois de ter terminado a relação com o meu namorado. Precisava de algo que me ocupasse a mente e em vez deprimir, decidi fazer voluntariado. Foi a melhor decisão da minha vida. 



3 - Porquê a causa dos animais?

Sempre fui apaixonada por animais, mas sinceramente, na altura eu só queria estar ocupada e sentir-me útil ao ajudar alguém, pessoa ou animal. 

Pesquisei na minha zona por causas com as quais me identificasse, nomeadamente a causa animal e de apoio aos sem abrigo. Uma associação de apoio aos sem abrigo referiu que não precisavam de voluntários e isso “abriu caminho” para me juntar aos Xanecos. 

4 – Que tipo de actividades desenvolve um voluntário nos Xanecos?

Um voluntário nos Xanecos pode ajudar através de duas formas: nas Campanhas de Recolha de Alimentos ou trabalhando diretamente com os animais, nos abrigos. Nas Campanhas, o voluntário apenas tem que entregar flyers a quem entra no supermercado e receber os donativos que estes entregam, normalmente ração e areão. 

Nos abrigos (temos dois), o voluntário ajuda na limpeza dos espaços onde os nossos gatos se encontram, garante que há comida e água, areão limpo e, o melhor de tudo, pode dar muitos mimos, que vai receber sempre a dobrar. 


5 – Até hoje qual foi o melhor e o pior momento enquanto voluntária?

Todos os momentos em que um animal tem uma recuperação milagrosa e/ou é adotado são fantásticos e enchem-nos o coração. Contudo, posso destacar um momento diferente que ainda hoje me arrepia: estava num supermercado a fazer uma campanha de recolha de alimentos para a associação e entra um senhor, como tantos outros. Uma colega entrega-lhe um dos nossos flyers. Ele lê tudo, coloca a mão no bolso e tira 0,55€. Dá-lhe 0,05€ e diz “menina, desculpe, mas o resto eu preciso mesmo”. 

Outro momento que me marcou pela positiva (nunca mais saio daqui…) foi ter feito de “parteira” de uma gata que ainda hoje está connosco. Tinha chegado até nós paralisada das patas traseiras e grávida; quando chegou a altura, ela já andava, mas poderia não ter força suficiente para ter os seus bebés. Assisti e ajudei no parto. Correu tudo bem e foi maravilhoso. 

O pior momento foi recente e também ele se passou numa campanha: uma senhora abordou-me sobre uma situação que se estava a passar onde ela morava e, enquanto conversávamos e eu tentava ajudá-la, o marido, já com alguma idade, foi extremamente mal educado e quis-me bater, tendo chegado, inclusive, a empurrar-me. O motivo que despoletou esta reação? A vizinha deles, que alimenta vários gatos na rua onde moram. 



6 – O que tens aprendido ao longo desta tua experiência?

Tenho-me apercebido que “quem tem menos, é quem dá mais” e que a nossa sociedade, apesar de estar em desenvolvimento, ainda tem muito que evoluir no que respeita à forma como tratamos os animais. 

E com eles, todos os dias aprendo algo, especialmente sobre o “amor de mãe”. 

Mesmo depois de vidas duras e difíceis, temos gatos capazes de aceitar carinho e amor do ser humano; gatos que não deixam que uma patologia neurológica lhes impeça de viver e brincar naturalmente; mães que adotam bebés órfãos; recém-mamãs que se viram de barriga para cima a ronronar e a mostrar os seus rebentos; mães que, com duas patas partidas e sem conseguir andar, se arrastam para salvar os seus bebés e os levar para um lugar seguro até serem salvas… São tantas as histórias para contar. O amor deles é incondicional e nós temos muito a aprender com eles. 



7 – Há sempre quem diga que não tem tempo para ser voluntário. Como é que encaixas a associação no teu dia-a-dia?

Eu tenho 4 trabalhos e todas as semanas arranjo tempo para fazer voluntariado, normalmente à sexta-feira, à hora de almoço (porque escolhi). Nos outros dias, ajudo a gerir a página de Facebook da associação. É tudo uma questão de vontade e gestão do nosso tempo. 

Começo e termino sempre os meus dias a dar treinos personalizados. Durante a tarde, leciono uma aula às crianças e antes de voltar aos PTs, sou instrutora de cardiofitness e musculação, e dou aulas de grupo num ginásio ou para a Junta de Freguesia da minha zona. Ajudo também a tratar de uma colónia ao pé de mim: construí-lhes casas no inverno, para se protegerem do frio e todos os dias os alimento. 

Acreditar que posso fazer a diferença é o que me faz continuar quando estou cansada. E não sou só eu, todos podemos fazer a diferença. Se cada um fizer um bocadinho, tirar uma hora da sua semana para ajudar uma causa que apoie, o Mundo fica tão mais rico e melhor. 

Aula solidária de Yoga organizada pela Ana para angariar fundos para os Xanecos

8 – Para quem tem sempre um dedo de condenação a quem ajuda os animais em vez das pessoas, o que tens a dizer? 

A solidariedade não é seletiva. Não pode, nem deve. Cada um tem uma causa com a qual se identifica mais e não pode ser julgado por isso. Respeito tanto uma pessoa que ajuda as crianças como uma pessoa que ajuda os sem abrigo e, pela minha experiência, quem ajuda os animais também ajuda as pessoas, mas o oposto nem sempre acontece. 

O que importa é que lutemos todos por uma vida digna para todos os seres vivos. Independentemente de lutarmos por uma causa ou outra, em última análise, o objetivo é o mesmo. Só mudam as variáveis. 


9 – O que mais te orgulha enquanto voluntária? 

Orgulha-me saber que posso fazer a diferença e que ajudo a salvar vidas. 



10 – Como podemos ser solidários em tempos de crise? 

É bastante simples. Não precisamos de ajudar com dinheiro, basta aparecer: sair de casa e abraçar uma causa que nos seja próxima. O resto acabará por se encaixar na nossa vida e acontecer naturalmente. Quando fazemos algo que gostamos, o resultado é sempre positivo. Podemos não voltar mais ricos monetariamente, mas voltamos de coração cheio. 




11 – Por fim para quem não conhece esta causa, diz-me porque é que vale mesmo a pena ser voluntário na Xanecos. 

Os Xanecos são uma associação que alimenta, recolhe, trata e esteriliza animais abandonados, encaminhando-os, posteriormente para adoção. Por não terem condições físicas, abrigam essencialmente gatos, sendo que os cães se encontram em famílias de acolhimento temporário. 

Porque vale a pena ser voluntário dos Xanecos? Não há um único dia que não seja recebida em festa, com miaus, ronrons e turras. Fico logo com um sorriso na cara e o resto do dia corre-me sempre bem. E quando conseguimos ultrapassar as barreiras daquele que chegou muito assustado e medroso, para depois passar a deitar-se de barriga para cima e pedir mimos? Sermos nós o motivo por que uma vida é mais feliz é inexplicável e faz-nos sentir tão bem. 

É por isto e muito mais que vale a pena ser voluntário na nossa associação.


Se ficaram curiosos com o trabalho desenvolvido nos Xanecos e desejam ajudar de alguma forma, visitem a página de facebook

E se conhecem outros super humanos que merecem ter destaque neste projecto, não deixem de partilhar comigo para o email: vania.duarte@lollytasteblog.com


Já me segues nas redes sociais?

4 comentários :

  1. Descobrimos agora o blog e adoramos!! Foi bom também ter descoberto este post porque é algo tão importante <3

    Seguimos o blog e o instagram! :D
    Beijinhos***
    _________________________
    All The way is an adventure
    Jess & Rose Blog | Instagram | Youtube

    ResponderEliminar
  2. Adorava ser voluntária!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. procura um projecto com que te identifiques e vê como podes ajudar :)

      beijinhos

      Eliminar