O respeito pelos seres vivos não é uma moda




Uma das coisas que mais oiço alguns iluminados dizerem quando há algum caso chocante de maus tratos a animais é que agora está na moda ser-se defensor dos animais e isso é das coisas que mais me provoca urticária. 

Lamento mas não, não é uma moda é sim uma necessidade e se hoje em dia se houve falar mais neste assunto é porque não só há mais pessoas conscientes que espancar um animal até o deixar às portas da morte é crime, como esta nova era digital nos permite chegar mais facilmente a estes casos que sempre existiram mas que eram abafados. 


E é por continuarem a existir casos dramáticos de maus tratos que o dia Mundial do Animal existe e tem de existir, porque apesar de muitos avanços já terem sido feitos a lei no nosso país que criminaliza os maus tratos a animais ainda tem muitas falhas, porque apesar de ter feito no passado sábado dois anos que a lei foi aprovada, nada impediu que o Bóris morresse depois de ter passado meses à fome.

“O detentor de Boris não abria a porta. Pediu-se ao tribunal um mandado judicial com carácter de urgência, para que as autoridades pudessem entrar no quintal, que nunca chegou”. Quando finalmente Boris foi levado para o hospital veterinário, na Primavera passada, era tarde demais. Não resistiu à fome de que era vítima há meses e acabou por morrer."

São casos como este e tantos outros que todos os dias vemos por ai, que criam a necessidade de cada vez mais se falar destes assuntos e se tentar que a lei seja mais eficazmente aplicada. Que se consciencialize cada vez mais as pessoas que os animais vivem muitos anos e que uma adopção tem de ser acima de tudo muito bem pensada e que sim é crime abandonar, é crime deixar um animal para trás, tirar-lhe tudo o que conheceu e colocá-lo num mundo onde tudo a que está habitudo não existe. 



Da mesma forma as pessoas têm de ter consciência que os animais não se devolvem, os animais não são coisas que pedimos emprestado ao amigo e quando acabamos de utilizar devolvemos, e esta realidade das devoluções é das coisas mais crueis com que me deparei quando me tornei voluntária, e se devolver um animal que se adoptou há meses porque faz disparates é cruel imaginem casos de devoluções de pessoas que têm os animais há anos mas porque razões idiotas como "vou mudar de casa e não dá jeito" descartam um ser que viveu com eles e para eles durante anos. 

Outra das coisas que tomei conhecimento é que os animais são muitas vezes usados em casos de violência doméstica. Muitas mulheres não saem de casa e vivem situações dramáticas porque os maridos ameaçam matar os animais dos filhos e como os abrigos para vítimas não acolhem animais elas acabam por continuar sujeitas a uma vida de inferno. E isto passa-se num país em que a lei contra maus tratos a animais existe...

“Pendurou os animais de estimação da minha filha do lado de fora da janela e ameaçou deixá-los cair se eu não regressasse a casa” ou "O meu ex-marido ameaçou matar todos os nossos animais se nos fossemos embora. Num ataque de fúria bateu na cadeia do meu filho, que estava só a tentar proteger-nos. Tentei que parasse e começou a bater-me a mim" 



E para quem tem sempre aquele velho argumento de: "Ah mas temos tanta pobreza, crianças doentes e velhos abandonados em lares" a minha resposta para vocês é simples e clara.
Temos sim e são todas elas muito importantes, posto isto tu que tens esse argumento o que fazes para mudar essa situação? É que isto de criticar quem defende os animais é muito giro, afinal eles sempre foram considerados inferiores ao ser humano e não falam portanto é muito mais fácil de atacar, mas depois vamos a ver e todas essas vozes que se insurgem contra quem veste a camisola por uma causa animal não passam de simples comentadores de bancada, que praguejam, chamam nomes, defendem mil causas nos comentários de facebook mas depois vai-se a ver e nada fazem.

Não contribuem para uma das causas que defendem, não se voluntariam em nenhum projecto nem procuram saber como podem melhorar alguma coisa neste mundinho, simplesmente ficam ali a criticar quem decidiu que lutar por animais vale a pena e não entendem que isto não invalida que tantas outras causas tenham a mesma importância e espantem-se muitas das pessoas que defendem causas animais apoiam regularmente outros projectos. 




Eu por exemplo fiz campanhas do banco alimentar durante muitos anos, participei numa recolha de alimentos o ano passado para a associação CASA, contribuo quando posso para o Projecto Amélia e não deixo de vestir a camisola da UPPA. Mas o melhor exemplo será a minha mãe que sendo de uma geração mais antiga não deixa de ser voluntária no banco alimentar, contribui regularmente para o Refúgio Aboim e quando pode dá uma pequena ajuda para a União Zoófila ou para a UPPA, ou seja uma coisa não tira o lugar a outra.

Portanto o mais engraçado é perceber que quem efectivamente aponta o dedo aos defensores dos animais não defende coisa nenhuma, porque quem é activo numa causa seja ela qual for não anda enraivecido a criticar o outro que defende uma causa diferente. Porque ambos sabem que aquilo que defendem é importante. 



E é por tudo isto, pelo Bóris, o Simba, o gato que foi queimado vivo numa festa popular o ano passado e por tantos outros que são abandonados, que o Dia Mundial do Animal tem de existir, porque há que dar voz aos que não se podem defender daquilo que nós os chamados "animais racionais" conseguimos fazer. 

8 comentários :

  1. Que post tao preciso e tao verdadeiro! Nao e' preciso acrescentar nada! Subscrevo tudo o que dizes e sim vale a pena lutar pelo animais porque nao sao eles que estao mal, somos nos!

    ResponderEliminar
  2. Opá, é isto! É mesmo isto! Sempre que alguém vem com esse discurso de "há crianças a passar mal, e sem-abrigos e mil e uma outras desgraçadas no mundo" eu só pergunto "e tu o que fazes então por essa gente toda? E uma causa invalida a outra?". É isso e quando me dizem "ahhh mas lá por não comeres carne não vão deixar de matar as vaquinhas e os porquinhos e tal e tal". Eu com isto, então, já deixei mesmo de me chatear, suspiro, reviro os olhos e só pergunto "mas eu estou a obrigar a alguém para deixar de comer carne?" - nunca o fiz e por norma só falo no assunto se alguém me perguntar alguma coisa - e por norma acaba ali a conversa. Mania, não fazem e não querem deixar os outros fazer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. infelizmente a maioria das pessoas são óptimas a falar e péssima a mexer o rabo para fazer alguma coisa que ñ tenha a ver com o seu umbigo.

      Eliminar
  3. a minha pequena quer contribuir para salvar mais animais, quer ser veterinária e
    ajudar os animais da rua.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e que os sonhos da tua pequena se realizem, precisamos de mais como ela :)

      Eliminar
  4. Disseste tanta coisa certa neste post... Essa coisa da moda é algo que me deixa parva, mas enfim... E concordo contigo quando as pessoas se revoltam porque alguém defende os animais e não as crianças e os idosos e essas não fazem nada para contribuir para um mundo melhor é como quando eu digo que deixei de comer carne "ah! grande coisa, e os peixes?" só dá vontade de dizer "então e tu? que consomes carne todos os dias e se calhar 4 vezes ao dia? estás a ajudar a quê? " enfim, mas não vale a pena aborrecer-nos com isso, o que interessa é nós fazermos o nosso melhor :)

    ResponderEliminar