Dá ouvidos ao teu corpo



A semana passada fiz uma pausa nos meus treinos.
Fui treinar na segunda feira com os Outsiders Gym, o relógio tocou e eu fiquei mais de 10 minutos na cama a pensar se ia ou não ia quando normalmente me levanto até bastante bem disposta, acabei por ir, treinei mas quando cheguei a casa senti um cansaço fora do comum. Fui trabalhar mas durante todo esse dia senti-me sem energia, cheguei a casa e quando comecei a preparar as marmitas para o dia a seguir percebi que precisava que o meu corpo precisava de descansar.

A verdade é que a morte do Pablo foi um momento muito violento psicologicamente para mim e que me afectou muito não só mentalmente mas também fisicamente como já referi aqui antes e está cientificamente provado que o excesso de stress acaba por provocar muita tensão no corpo e isso reflecte-se não só em cansaço acumulado como em dor física e estas últimas semanas acabaram por me deixar de rastos.

Quando percebi que o relógio tocava, eu não tinha forças para me levantar e que as minhas noites de eram pautadas por um sono muito agitado, decidi que tinha de fazer uma pausa nos treinos e respeitar o meu corpo, não porque estivesse a treinar demasiado que não é o caso pois neste momento ao contrário de há uns meses só treino 1h por dia certinha, basicamente o meu corpo estava a ressentir-se de todo o stress que acumulei estas semanas devido à perda do Pablo e por isso tinha de abrandar. 

E foi exactamente isso que fiz, parei durante toda a semana, procurei deitar-me cedo e dormir as horas suficientes, comi bem e não engordei nem regredi na minha forma física, muito pelo contrário comecei esta semana com uma energia renovada. Ter esta capacidade de ouvir o meu corpo por mim mesma, deixou-me de peito inchado e cheia de orgulho, porque me mostrou que aos poucos estou a retomar o equilíbrio que perdi no início do ano.

Porque há uns meses atrás parar para mim significaria uma de duas coisas: ou começava a dar em doida a restringir imenso a alimentação para compensar o facto de não estar a gastar calorias ou entrava numa onda de já que estava em baixo presenteava-me com comida para me animar e na próxima semana logo recomeçava tudo, e foram estas coisas que me levaram a voltar a ter compulsões.

Mas não foi isso que aconteceu agora e estou para lá de feliz, consegui ouvir o meu corpo dizer-me que precisava de uma pausa para tentar processar todos os acontecimentos deste mês e decidi dar descanso ao corpo, ao mesmo tempo que segui a minha alimentação normal, sem paranóias, sem medos de poder a vir engordar e sem excessos ou pensamentos compulsivos de "já que estou em pausa de exercício estou em pausa de alimentação". 

A verdade é que o exercício e a alimentação andam de mãos dadas e que um corpo são faz-se 70% de uma alimentação equilibrada e 30% de treino, portanto consegui sozinha ter a capacidade de perceber que não é por parar o treino durante um determinado tempo que vou estragar todo o meu progresso e que parar não significa soltar o grito do ipiranga e desatar a comer todo o corredor de bolachas do supermercado. 

E são estas pequenas vitórias que me vão mostrando que apesar de ainda ter um longo percurso a percorrer estou mesmo no caminho certo e que aos poucos as coisas se estão a voltar a equilibrar. 

2 comentários :

  1. O corpo precisa de descanso e para estarmos em forma é obrigatório! Não pode ser só treinar treinar treinar ;)
    -
    Diogo Marques
    Blog: A culpa é das bolachas! | Facebook | Instagram | Zomato
    -

    ResponderEliminar