Um refúgio para a ansiedade


Sempre fui uma pessoa ansiosa, desde que me lembro como gente que sempre sofri por antecipação, sempre fiquei nervosa ao mínimo sinal de mudanças na minha rotina, sempre me senti desconfortável com confrontos ou ter de lidar com situações mais delicadas. Sempre fui assim e sempre lidei com a ansiedade da melhor forma que conseguia: com comida.

A comida sempre existiu para mim, como uma espécie de conforto emocional, onde podia encontrar um escape para me esquecer dos problemas. Não foram raras as vezes que saia do trabalho depois de um dia mais cansativo, e fazia uma paragem no supermercado mais próximo onde comprava um pacote de gomas e dois folhados e despachava aquilo em menos de uma hora.

Sextas à noite também eram sinónimo de regabofe. Era quase como um presente pelo final da semana, e era comum começar a pensar bem cedo, no que iria comer assim que entrasse no fim de semana. Nos últimos tempos justificava muitos dos meus comportamentos, com a velha frase "ah eu treino muito portanto posso", e encarava isto tão naturalmente que algures em Junho consegui dar cabo de um pacote de waffles de avelã de um colega meu em menos de 3 horas.

O depois para mim é e sempre foi terrível, o depois leva-me a um local bem negro dentro de mim, onde me imagino com mais 30 kilos em cima, a ser gozada por todas aquelas vozes que diziam "se não queres comer, dá à gorda que ela come". Porque eu sei que treinar não é desculpa para me descontrolar com a comida, e sei isto tão bem porque eu já estive no patamar do equilíbrio, no patamar em que sabes que por treinares muito acabas por ter mais fome, mas isso não justifica que engulas meio corredor de batatas fritas do supermercado, permite-te sim, um pouco mais de à vontade com certos pecados, mas tudo com peso e medida. 

O problema de entrar neste local negro que vos falo, é que me faz agarrar ainda mais à comida, é o tal perdido por 100 perdido por 1000, e de um desastre numa tarde, tornava-o num gigantesco buraco negro de forrobodó alimentar até domingo à noite altura em que prometia mudar.

A comida sempre me confortou, sempre foi um refúgio para mim, se estava triste servia de consolo, se estava feliz servia de celebração e esta bola de neve é um processo de auto destruição tão grande mas muito silencioso. Silencioso para os outros claro, porque dentro de nós a angústia é grande, ou devo dizer antes a vergonha? Quantas vezes não comi às escondidas para que não me questionassem? 

A vergonha é algo que acompanha a maioria das pessoas que tem estes comportamentos, sabemos que o que fazemos está errado, mas há algo dentro de nós que nos impede de dizer que não aquele pacote de bolachas tão apetitoso. Porque o problema é mesmo esse, saber dizer que não sem ter medo de ser olhada de lado, com a típica frase "lá está ela com a mania das dietas".

Por isso a melhor forma de lidar com isto é dizer basta, assumir que temos um problema e encarar a coisa de frente. No fundo lidar com compulsões é tramado, mas lidar com os olhos reprovadores dos outros ou porque se comeu demasiado ou porque estamos em dieta é ainda pior. 

6 comentários :

  1. O bom refugio ja esta quase a caminho :D

    ResponderEliminar
  2. Compreendo perfeitamente o que dizes :/ Estamos juntas na luta, bora lá :D

    ResponderEliminar
  3. Olá Vânia! Descobri hoje o teu blog, achei interessantes as tuas notas sobre comida, teres esse tipo de medo de engordar e este artigo da ansiedade. Encontro nas tuas palavras alguma semelhança com os meus problemas.
    É uma luta interior com a vontade de comer e a vontade de ser saudável, sou gulosa que doi!
    Um outro reparo, vi que és Designer, vê o meu behance caso queiras espreitar: https://www.behance.net/AndreiaRaquelGomes

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Andreia, obrigada pelo teu comentário e bem vinda :)

      Não é mesmo nada fácil conseguir gerir a ansiedade e controlar os apetites, mas acredito que com ajuda e muitaaaa paciência tudo se consiga:) Já vi o teu behance, bom portfolio :)

      beijinhos grandes

      Eliminar
  4. Olá vânia, obrigada por toda a inspiraçao.. tenho vindo a recuperar de uma anorexia, mas o terror pela comida ainda anda cá..és uma inspiraçao.. obrigada 😘

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá :) espero sinceramente que aos poucos encontres um equilibrio saudável com a comida. Passa por cá sempre que quiseres para procurar forças :) beijinhos

      Eliminar