Compulsão alimentar


Este é um tema que me toca particularmente porque sofri durante muitos anos com compulsões alimentares e mesmo hoje em dia apesar de estar controlado ainda tenho momentos mais frágeis. 

A comida sempre foi um conforto para mim. Sempre foi o meu porto seguro onde me refugiava, seja quando estava feliz e queria celebrar ou quando estava triste e só queria esquecer-me do peso que tinha e dos disparates que fazia.  Na adolescência como sabem sofri de excesso de peso, comia muito e comia mal, depois ao ter sofrido de bulimia a comida era o meu refúgio para lutar contra o excesso de peso. É contraditório é verdade mas era isso que eu sentia, comia para tentar esquecer a tristeza que o excesso de peso me dava e depois vomitava para esquecer todas as porcarias que tinha comido minutos antes, estive assim durante algum tempo até começar a ser tratada.


Os anos passaram, recuperei deste meu problema mas demorei muito a ter uma boa relação com a comida. Durante muito tempo fiz muitas dietas diferentes, comecei e recomecei planos, uns mais restritos do que outros e de todas as vezes tinha alturas em que desmotivava, em que não percebia o porquê do meu corpo não estar a responder e por isso enchia-me de comida quase num grito de desespero, num afirmar de que se "perdida por 100 perdida por 1000".

Quantas vezes não comi às escondidas com vergonha que me vissem a enfardar bolachas depois de ter acabado de jantar há 1h? Quantas vezes não sai do trabalho completamente a salivar por pizza como se não comesse há muito tempo. Quantas vezes antes de ir para a cama, não comia bolachas, pão e tantas outras coisas? Vivi durante muito tempo com compulsões e de todas as vezes senti-me envergonhada de mim própria.

Quando decidi mudar o meu estilo de vida há 3 anos atrás, aprendi a comer e as minhas compulsões diminuíram muito, no entanto nunca chegaram a desaparecer porque isto do psicológico nem sempre é fácil de lidar e falhei algumas vezes. Uma coisa que descobri sobre mim é que lido muito mal com planos alimentares restritos, aconteceu-me o ano passado antes de ir de férias estar com uma alimentação muito baixa em hidratos e assim que coloquei os pés em Malta foi o total descontrolo, resultado 1 semana de férias, mais 4 kilos e uma grande frustração no final, um sentimento de fraqueza e de falhanço que só me deixaram ainda mais abatida. 

As compulsões alimentares são tramadas, porque nos tornam reféns dos nossos medos, das nossas angústias e tristezas e em vez de as enfrentarmos mascaramos o problema com comida, o que acaba por se tornar um problema maior porque no fim acabamos por nos punir, então prometemos que vai ser a última vez e que no dia a seguir tudo será diferente até voltar a acontecer uma e outra vez.

Não é fácil lidar com isto, mas acredito que existem pequenos truques que possam ajudar a melhorar o problema. Um deles é criar metas realistas. Não adianta querermos ter um corpo espectacular a um mês do verão se não fizemos nada por isso nos meses anteriores. Criar este tipo de ilusões termina 90% das vezes com uma grande frustração o que nos leva a refugiarmo-nos na comida como consolo. Ter metas realistas, e ir celebrando as pequenas conquistas ajuda-nos a sentir motivadas, e a manter a cabeça e o corpo no caminho correcto.

Outra coisa que ajuda bastante é olhar para fotos antigas e percebermos onde estamos hoje. faço isso muitas vezes, naquelas alturas em que me sinto mais em baixo e que me apetece comer 3 pizzas, olho para fotos antigas, para o meu eu antes de começar esta viagem e digo a mim mesma que não quero voltar ali. Ajuda-me muito fazer isto.

Para além disso acredito que é importante lidarmos com a comida descontraidamente. Não é por ter tido um jantar mais carregado que vou deitar tudo a perder se durante o resto do tempo tenho uma alimentação correcta. Da mesma forma não é por comer uma vez salada e os outros dias encher-me de porcarias que vou anular as más escolhas. É tudo uma questão de equilíbrio e de aceitar que na nossa vida precisamos de ter espaço para jantares com amigos, festas e um ou outro chocolate, desta forma acredito que planos alimentares muito restritos acabam por levar ao falhanço mais rapidamente, porque quando vivemos em restrição durante algum tempo acabamos por descarrilar mais facilmente quando saímos da nossa zona de conforto.

Acima de tudo temos de aceitar que somos humanos e que falhar faz parte da nossa essência, eu sei que conseguir gerir isto não é fácil, mas acreditem que se tiverem um plano alimentar que vá de encontro às vossas necessidades diárias, as compulsões diminuem muito.
  

7 comentários :

  1. eu tenho muitos momentos de compulsão especialmente quando ando mais stressada ou ansiosa, vingo-me muito na comida e depois sinto-me mal comigo própria. obrigada por teres escrito este post, ajuda saber que não somos as únicas no mundo com este comportamento.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não somos não querida Diana, este problema atinge muitas pessoas. Se vês que não consegues controlar os teus impulsos podes sempre pedir ajuda a um profissional de nutrição que te pode ajustar quantidades de forma a tentar controlar melhor essas compulsões :)beijinhos e força

      Eliminar
  2. Identifico-me muito com o que escreveste. Há alturas que estou no trabalho, são 15h e já estou a pensar que vou comer isto e aquilo como recompensa. Agora ando numa fase mais controlada, mas não acho que esteja resolvido, de todo.
    Custa-me gerir as batotas porque tenho receio de se "resvalar" hoje, amanhã vai ser mais fácil pecar outra vez, mas o equilíbrio é fundamental, como dizes!

    Ótimo post ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O segredo é conseguires aceitar que para uma vida equilibrada as batotas também são necessárias e não é por um deslize hoje que o teu esforço vai cair por água abaixo. Equilibrio é mesmo o mais importante :) continua forte. beijinhos

      Eliminar
    2. Isso é verdade, mas ainda esta semana tive um jantar e colocaram-me à frente (repara) Viennetta, Tarte Dan Cake de chocolate e chocolate derretido... claro que olhei pra eles todos com pena, mas não comi nem uma lasca com receio de depois ser mais fácil comer mais. Como estou no inicio do controlo, acho que faz algum sentido até me sentir mais controlada, não?!

      Obrigada! Beijinhos

      Eliminar
    3. No início de uma reeducação alimentar e normal que existam mais restrições especialmente se tens peso a perder e como é obvio se ainda não te sentes confiante e achas que podes vir a falhar faz sentido sim, no entanto é importante que aprendas a gerir este tipo de situações de forma a que consigas comer um bocadinho de vienneta ou de outra coisa e ficar satisfeita sem te apetecer comer a caixa toda. Beijinhos grandes e continua :)

      Eliminar
    4. Esse é o meu "sonho de vida", poder comer algo que goste muito sem cair em exageros!

      Obrigada pela força!! Beijinhoooos

      Eliminar