Tailândia - Banguecoque #2


Continuando por Banguecoque, fomos visitar o Wat Po, templo do Budha dourado deitado que é um dos maiores e mais antigos templos da cidade. O Budha deitado tem 46 metros de comprimento e 15 metros de altura, o corpo é todo coberto por um dourado brilhante e a sola dos pés é trabalhada com detalhes muito bonitos. Não se pode tocar nele, há uma grande vedação em toda a volta e existem ainda vários altares onde muitos tailândeses se dirigem para fazer as suas oferendas e rezar. O Budha ocupa quase todo o comprimento do templo portanto é muito complicado conseguir um bom ângulo para tirar fotos.









As paredes estão cobertas por detalhes de madeira incríveis, e reparei em vários templos que há uma preocupação na preservação, por isso era comum ver-se pessoas em trabalhos de restauro. Uma outra curiosidade é que os gatos usam os templos para se protegerem do calor, pois a verdade é que Banguecoque consegue ser uma cidade muito sufocante mesmo de Inverno e como os templos estão  frescos são uma óptima opção para estes animais se esconderem do calor.



Depois de visitarmos os templos ficámos com fome. Tinha um amigo que me aconselhou a ir a Chinatown comer porque era dos melhores sítios para esse efeito e com preços mesmo muito baixos. Vimos no mapa onde ficava e percebemos que era bem longe da zona dos templos portanto decidimos apanhar o nosso primeiro Tuk Tuk. É preciso ter muita paciência para negociar com os senhores dos Tuk Tuk, tentam sempre cobrar-nos grandes valores e levar-nos a outros locais, nós como já tínhamos negociado outras coisas antes acabámos por ganhar mais "estaleca" e de 500 bahts que era o que ele nos queria cobrar, pagámos 100 bahts até chinatown e sempre lhe dissemos que era directamente para lá e caso ele nos levasse a outro sítio nós não pagávamos.





A viagem de Tuk Tuk é uma aventura. O trânsito em Banguecoque é absolutamente caótico, conduzem em sentido contrário, andam 3 e 4 pessoas em cima de motas, não usam capacetes, e parece-me que regras de trânsito é coisa que não existe, fora que os peões não têm qualquer tipo de prioridade. Depois nas estradas anda tudo, desde carros, a carrinhos de mão com os mais diversos materiais e o mais engraçado é que em todo aquele caos as coisas acabam por funcionar.

Os Tuk Tuks não têm qualquer tipo de segurança, mas se nos abstrairmos disso é das viagens mais engraçadas que podem fazer, eu gostei tanto que voltámos a andar outras vezes, pois com tanto trânsito acaba por ser prático.





Chegámos ao mundo de Chinatown e ficámos de boca aberta com a imensidão de pessoas e oferta que encontrámos. Ali tudo se vende e é impossível ficar indiferente aos muitos cheiros com que nos deparamos, sendo que alguns chegam a ser um pouco agoniantes mas outros bem agradáveis. 

Eu deliciei-me em especial com a imensa variedade de especiarias e de frutos secos que eles vendiam. Bagas de goji e coco desidratado a preços bem baixos foram algumas das coisas que acabei por comprar para mim. Uma das coisas com que nos vamos deparando desde que chegamos à cidade é que os padrões de higiene a que estamos habituados na Europa simplesmente não existem ali. 

Caixas de ovos ao sol, carne e peixe com um bocado de gelo por cima, barracas de comida que se amontoam umas ao lado das outras mostram que se a ASAE estivesse por ali aquilo era tudo fechado, no entanto eu já sabia que ali se comia bem e que a Ásia é mesmo diferente de tudo portanto foi por ali que decidimos jantar. 





Escolhemos uma barraca de comida onde estavam mais tailandeses a comer, sentámo-nos nuns bancos de plástico e pedimos 2 Pad Thai, um de legumes e outro de camarão. A senhora fez a comida mesmo ao nosso lado e serviu-nos e assim que provámos percebemos que tínhamos mesmo feito a escolha certa. A comida era deliciosa portanto devorámos tudo muito rapidamente sendo que a única coisa que não comemos foi a salada pois não estava cozinhada. Gostámos tanto que voltamos a pedir mais dois pratos e no fim pagámos 3€ por toda esta refeição. O melhor disto tudo é que ao início estávamos um pouco com medo de comer na rua apesar de me terem dito que se comia mesmo muito bem, e depois desta experiência passámos a comer muito mais vezes nas barraquinhas, onde pagámos sempre pouco e comemos sempre bem. 

Para quem se pergunta se me senti mal ao longo da viagem, a resposta é não. Não tive qualquer problema de estômago nem de intestinos e apesar de ter levado uma farmácia de medicamentos atrás felizmente não utilizei nada. É óbvio que pode acontecer, tentei ter cuidado em só beber bebidas engarrafadas e sem gelo e não comer coisas que não fossem cozinhadas, excepto a fruta que era tão boa que decidi arriscar. 

Na próxima semana saímos de Banguecoque para viajar até à maravilhosa cidade de Ayuthaya. Para quem não viu a primeira parte desta viagem, podem fazê-lo aqui.

3 comentários :

  1. Oh os gatinho tão fofinhos ♥ Eu adoro mercados, é mesmo das coisas que mais gosto de espreitar nos sítios que visito :) Adoro andar de Tuk Tuk, mas andar de Tuk Tuk em Banguecoque deve ser alucinante!

    ResponderEliminar
  2. Essa buda é espectacular, uau! E a comida devia ser mesmo boa :) e tão barata!! *

    ResponderEliminar