Conquistas que sabem a muito


Apresento-vos o meu mealheiro em forma de porco, bem infatilóide, mas que adoro profundamente e que foi uma presença neste último ano cá por casa.

Desde miúda que me lembro de ter mealheiros, a minha infância e juventude não foi recheada de abundância e portanto o conceito de poupar e sacrifício foi-me incutido desde muito cedo, e talvez por isso todas as coisas que fui conseguindo ao longo da vida, tenham tido um valor diferente para mim, como o meu primeiro computador que comprei aos 18 anos, com o primeiro salário depois de ter estado a trabalhar dois meses (enquanto estudava), nos embrulhos de Natal de uma cadeia de supermercados.

Enfim, cresci comecei a trabalhar, a ganhar o meu dinheiro mas sempre me mantive de pés bem assentes no chão e por isso os mealheiros continuaram a fazer parte da minha vida, costumo inaugurar um em Janeiro, ao longo do ano vou colocando o que posso e só o volto a abrir em Dezembro, e a verdade é que este método me permite saborear as minhas conquistas de uma forma bem mais especial.

Não sou uma pessoa forreta longe disso, mas devido à minha experiência de vida, acabei por me tornar muito cautelosa com gastos, o que até dá jeito tendo em conta que vivemos uma época muito incerta e economicamente bastante complicada. A verdade é que há muita gente que se queixa que não consegue poupar nesta altura que vivemos, mas tirando casos realmente críticos de famílias em condições precárias, acredito que na maioria dos casos não passe de má gestão pessoal.

E assim sendo estamos em Dezembro e eu já tenho destino para parte do conteúdo deste pequeno, algo que já desejava há muito tempo e que vou finalmente conseguir ter. E acreditem que não há melhor sensação do mundo do que saber que o esforço realmente compensa, quando conseguimos alcançar os nossos sonhos. Eu, sou sem dúvida verdadeiramente feliz com estas conquistas que vou conseguindo ao longo da minha vida.

E vocês têm mealheiros por casa?

15 comentários :

  1. Eu também sou adepta :)

    kisseS***

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho sim, uma coruja prateada super gira!! :) Mas confesso que essa ideia de começar em Janeiro e só o abrir em Dezembro é uma óptima ideia... Tenho de admitir que já fui buscar ao meu uns quantos troquinhos e isso estraga esses planos da conquista ao final do ano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. uma óptima maneira de não mexeres no que juntas é comprares um daqueles que só se abrem partindo, geralmente tenho desses, este ano é que não consegui comprar:-)

      Eliminar
  3. Eu tenho, mas não tenho colocado lá nada, até porque é transparente e vai-se vendo. Mas acho uma óptima ideia começar a fazer um no início do ano e só abrir no final do ano, vou fazer isso ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é um óptimo método e ao final do ano sabe bem:-)

      Eliminar
  4. Tenho sim senhora. E é lindinho.. Talvez o mostre em breve (num instagram perto de si, ahah)

    "mas tirando casos realmente críticos de famílias em condições precárias, acredito que na maioria dos casos não passe de má gestão pessoal."
    Deixa-me discordar! Mas...
    Pensa numa coisa, a falta de educação para poupar também é uma forma de pobreza ;)
    Cada caso é um caso e quando não conhecemos é fácil pensar em coisas que não correspondem a verdade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Respeito a tua opinião Ana mas não concordo em pleno. É verdade sim
      que a educação é muito importante e se não foste educado com o intuito de
      poupar fica mais dificil tomares essa iniciativa, mas também é verdade
      que tens muita gente que até foi educada assim e quando se apanha com dinheiro
      na mão acaba por não ter controlo, quantas vezes não ouvimos pessoas a queixarem-se
      que ao dia 15 já não têm dinheiro?
      A isto chamo claramente má gestão pessoal, o tipico gastar já o que tenho porque acabei
      de receber e o resto do mês logo se vê.
      O povo português funciona muito assim.
      Lá está não generalizo, é obvio, há muita gente que ganha mal e a quem é realmente dificil poupar, mas a má gestão pessoal é sem dúvida um grande problema do nosso país, aliás basta veres a crise em que estamos instalados, os imensos créditos que se fizeram, as dívidas pessoais que se criaram.
      No outro dia ouvi que apesar da crise as pessoas estavam a poupar mais, o que é triste porque é preciso chegarmos a uma situação destas para as pessoas se retraírem, porque não fazer-se isto nos grandes anos 90, época de grandes gastos? Será que foi falta de educação? Não foi de certeza porque pela nossa história o FMI já resgatou portugal 3 vezes. Será que com uma diferença tão pequena de anos entre resgates, e ao voltarmos a cair sempre no mesmo estamos a falar de falta de educação ou definitivamente de má gestão pessoal de um povo habituado a viver acima das suas possibilidades? Claro os nossos governantes têm muita culpa nisto, mas o consumismo de muita gente, ao longo destes anos também ajudou.

      Eliminar
    2. Eu também compreendo o que dizes, claro que sim. Mas mesmo assim, acho que cada caso é um caso... ;)

      Eliminar
  5. Sempre tive mealheiros, tanto para poupar como para guardar as minhas moedas de colecção. O meu marido no gozo chama-me de forreta :) Comprei um sapo mealheiro à pouco tempo porque o meu gatinho partiu-me o outro.

    Bj*

    ResponderEliminar
  6. Eu uso cerca de 3 métodos. Um mealheiro, uma conta poupança e esconder em local certo que num ápice se torna incerto por me esquecer onde o meti. O certo é que depois dá sempre para surpreender e rir bastante também, ;p

    ResponderEliminar
  7. Belo mealheiro! Espero que pese muito, ou melhor, que pese pouco e esteja cheio quando o abrires!!! Saber poupar é uma grande virtude, especialmente nos tempos que correm. Eu cá acho que poupar é mesmo uma característica da personalidade, do temperamento de cada um. Não terá tanto a ver com educação, ou maiores ou menores dificuldades financeiras, tanto no presente como no passado. Senão, todos os filhos de pais poupados seriam também poupados, independentemente de serem ricos ou pobres! Mas que quem tem esse talento ou qualidade característica a deve preservar, disso não tenho dúvidas! Bjs

    ResponderEliminar
  8. Para variar já tivemos esta conversa e já passámos as duas por fases em que começámos a valorizar cada vez mais o dinheiro.
    Desde há muito que larguei futilidades que não interessam a ninguém, especialmente quase para ostentar aos outros o que temos. Há necessidades maiores do que isso e embora saiba bem comprar as nossas coisinhas, neste momento prefiro poupar para ir por exemplo jantar ou lanchar com quem mais gosto.
    Sou poupada desde que existo e sempre lutei para ter o que quero, não pedindo nada aos papás a partir do momento em que comecei a trabalhar.
    Mas cada um com a sua vida não é? :)

    ResponderEliminar
  9. Nunca fui muito de ter um mealheiro, mas desde que me mudei para Lisboa (estudar fora de casa) senti que devia tentar por algum dinheiro de parte, nem que fosse para depois ir às compras. Ainda hoje procurei um mealheiro, mas o que vi pareceu-me pequeno... Resta-me continuar com a procura!

    Um beijinho, Leonor <3
    www.leonorinwonderland.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  10. Eu tinha um mini cofre, bem engraçado em amarelo mas depois de saber que o meu pai conseguia abrir sem usar o código deixei de ter o mealheiro ahahah

    xoxo

    ResponderEliminar