Ama-te ainda mais com a ajuda da Body Hut



A semana passada a convite da Body Hut fui conhecer este novo espaço que abriu em Carcavelos e experimentar uma massagem e assumo com todo o meu coração, que mal terminei apaixonei-me por todo o conceito.

Massagens quem não gosta? Quem me conhece sabe que eu sou a louca das massagens, eu e ele fazemos regularmente massagens a dois e temos até uma tradição engraçada de fazer uma massagem especificamente no dia 31 de dezembro. Foi algo que começou por brincadeira e agora é uma espécie de tradição que nem que seja pela ideia de libertar o corpo das más energias já vale a pena.

Tirando as massagens de relaxamento, eu adoro massagens de estética, acho que quando bem feitas e aliadas a um bom treino e alimentação são uma excelente ajuda e falei-vos inclusive o ano passado, sobre uma série de tratamentos que fiz como ajudinha extra para o Verão.  

Aqui pelo blogue vocês sabem que eu defendo com unhas e dentes o amor-próprio e que acredito profundamente que para estarmos bem com o resto do mundo temos efectivamente de estar bem connosco próprias. Faz-nos bem ter tempo para nós e não é nenhuma futilidade querer sair do trabalho e ir arranjar as unhas, fazer um novo penteado ou fazer uma massagem simplesmente porque nos apetece, faz-nos bem ao corpo e à mente e eu acho mesmo que todas as pessoas deveriam ter esta possibilidade.



Ora nós sabemos, que massagens acabam por não ser propriamente baratas, mas foi a pensar exactamente nisto que a Body Hut surgiu, para chegar a todas aquelas mulheres e homens que gostam de se mimar mas que por terem pouco tempo durante o dia ou porque a carteira não dá para grandes extravagâncias acabam por não conseguir aceder a este tipo de serviço. 

Para além disto, acho que as massagens são efectivamente uma necessidade nos dias de hoje em que passamos demasiado tempo sentados, temos uma péssima postura e mesmo eu que treino todos os dias acabo por ter um dia bastante sedentário contribuindo assim para uma péssima circulação nas pernas e tendo eu uma herança de varizes na minha família, não é nada bom passar tanto tempo sentada, portanto poder fazer algo que ajude a prevenir futuras doenças deveria mesmo ser um direito de todos nós e não um luxo. 



Como vos disse fui conhecer o espaço e fiquei logo impressionada: uma decoração sóbria e com bastante bom gosto, um espaço amplo que durante o dia recebe imensa luz natural, música zen para nos fazer relaxar, uma sala de espera bastante acolhedora onde podemos tomar um chá e um silêncio reconfortante que nos leva a relaxar logo imediatamente.  Entrei no gabinete e a simpática massagista Helena disse-me todas as massagens que haviam disponíveis e eu decidi fazer meia hora de massagem de relaxamento nas pernas e meia hora de massagem terapêutica nas costas. 

E minhas amigas quase que me babei com a massagem de relaxamento mas foi a terapêutica que acabou por roubar o meu coração, muito porque me tinha magoado num treino na semana anterior, então ela acabou por mexer aqui em pontos que me deixaram como nova. Foi óptimo perceber a diferença nas duas massagens, pois enquanto uma é efectivamente para nos deixar ali a flutuar nas nuvens a outra é mais puxada exactamente para libertar pequenos "nós" que possamos ter na coluna. 

Terminei a minha hora de massagens com a cabeça meio zonza de tão bem que me sentia e no fim acabei mesmo por me inscrever, porque se as massagens são efectivamente boas o preço é ainda melhor e eu acabei por escolher o pack básico onde por 29.90€ mês tenho direito a 4 massagens de meia hora, não acham isto espectacular? 


Outra das coisas maravilhosas, é que podem escolher uma massagem diferente, sempre que lá vão e caso prefiram em vez de fazerem meia hora de massagem podem sempre juntar e fazer 1h (que foi exactamente o que acabei por fazer agora nestas duas últimas semanas de Março). 

Existem outros dois packs que podem consultar no site e já que falamos no site, outra coisa que eu amei mesmo foi saber que nos podemos inscrever e fazer as marcações directamente pelo site. Sendo eu uma verdadeira viciada em tudo o que é online isto para mim é uma grande vantagem, para além disso podem comprar o vosso pack no site e escolhendo a opção Multibanco é gerada uma referência e podem pagar logo. 

A verdade é que a Body Hut apesar de se assumir como um centro de massagens Low Cost tem toda uma comodidade e um nível de atendimento de excelência que acredito não deixar ninguém indiferente, pelo menos a mim não deixou e tornou-me automaticamente uma cliente feliz. 

Se quiserem saber mais informações podem visitar o site ou o Facebook  e não deixem de se mimar ou quem sabe oferecerem um pack de massagens a quem mais gostam :)

Já me segues nas redes sociais?

Passatempo Kit Saudável Vita 33



Pois é, passatempo no ar :)
E se ontem vos dei dicas de como combater a gula, hoje em parceria com a Vita 33, trazemo-vos um passatempo que vos vai ajudar a manter esses cravings bem longe.

E o que é que vão poder ganhar?

1 embalagem de 500gr de aveia com proteina vegetal sabor de mirtilo
1 embalagem de snack cacau e coco composta por várias sementes
1 embalagem de pão tipo tosta com sabor a cebola e alho
1 barrinha brownie de amendoim 
1 saqueta de amazing grass antioxidante sabor de Açai
2 embalagens com hambúrgueres de cogumelos e pimento. 

Todos estes produtos são adequados a vegetarianos. 

Para se habilitarem a ganhar este Kit Saudável só precisam de: 

Seguir a página de Facebook do Lolly Taste aqui
Seguir a página de Facebook da Vita 33 aqui
Preencherem o formulário abaixo

Entradas extra

  • Para uma entrada extra partilhar o passatempo no facebook de forma pública
  • Para uma segunda entrada extra seguir o Instagram do Lolly Taste aqui
  • Para uma terceira entrada extra assinalar Sim no formulário "Quero receber newsletter"


O passatempo é Nacional (Portugal Continental e Ilhas) e termina às 23.59 de dia 28 de Março. O vencedor será escolhido via random.org e anunciado no facebook no dia 30 de Março. Só é válida uma participação por pessoa. Boa sorte!


4 sugestões para combater a gula


A gula é capaz de ser o meu maior pecado capital. Sempre fui gulosa desde que me conheço, mesmo quando era mais miúda e era um verdadeiro pau de virar tripas, perdia a cabeça por doces e salgados, entretanto os anos foram avançando, eu fui engordando e a minha gula também aumentou.

Eu comia muito, lembro-me de estar para aí no 6ºano e ter uma tradição com uma amiga de comer todos os dias a meio da manhã um bolo chamado delícia que era nada mais nada menos, do que uma espécie de mil folhas mas com doce de ovos no meio e açúcar em pó por cima e todos os dias marchava um destes, mas se ela era magra naturalmente, eu não era e isto ainda agravou mais o meu aumento de peso na adolescência. 

Quando comecei a ter noção do meu peso passei a comer às escondidas, comia muitos chocolates, bolachas e gomas que comprava no supermercado e depois escondia as provas do "crime" dentro do meu armário ou num sítio, onde a minha mãe não pudesse ver para não me chatear com a quantidade de porcarias que eu comia, mas muitas vezes eu esquecia-me das coisas e ela acabava por descobrir.

5 benefícios de adoptar um animal adulto

Robin 3 anos e Luke 5 meses adoptados por mim em Dezembro de 2016

Adoptar com responsabilidade é um acto de amor, assim simples e directo é esta a melhor forma para descrever a decisão de salvar uma vida que nunca conheceu uma casa ou que conheceu mas que foi completamente descartada porque já não combinava com a decoração lá em casa ou porque simplesmente deixou de ter a graça que tinha porque cresceu. 

Eu amo animais de coração e na UPPA todas as adopções me deixam sempre com o coração feliz mas confesso-vos que quando há um adulto que é adoptado eu fico com uma esperança redobrada no ser humano e lembro-me que uma das adopções que mais me marcou foi exactamente a do meu ex. afilhado Lord que já tinha sido adoptado e devolvido, que é um cão maravilhoso com uma energia incrível e sem ninguém prever alguém se apaixonou por ele, sem olhar para a idade ou para o facto de não ser propriamente o Brad Pitt dos cães e lhe deu a vida que ele merece. 

Por estar directamente ligada à UPPA há quase 4 anos acabo por conhecer todos os cães e muitas vezes quando lá vou e vejo patudos incríveis, com personalidades doces, meigas e sempre com aquele olhar carinhoso à nossa espera não entendo como é que muitos deles continuam por lá só porque alguém acha que já passou o prazo de validade. 

As desculpas para não se adoptar adultos são muitas, há quem diga que bebés são mais fáceis de educar, que vão gostar mais de vocês, que é mais fácil criar ligação e no caso dos gatos há pessoas a acharem que é mais fácil moldar a personalidade, o que acaba por me dar vontade de rir porque quem acha que consegue moldar a personalidade de um gato ou de um cão devia adoptar um tamagochi. 

Eu adoptei um adulto (com FIV) e um bebé, uma espécie de dupla Ying/Yang que me tem ensinado muito nesta coisa de ter dois opostos com idades tão diferentes numa casa e por isso decidi partilhar com vocês 5 razões para considerarem a adopção de um animal adulto.

A vergonha de um antidepressivo



Uma grande amiga minha perguntou-me há uns tempos, o que é que se sente quando se toma  um antidepressivo, ela estava acima de tudo curiosa sobre como é que eu me sentia durante o dia e de todas as coisas que eu lhe podia dizer como, uma calma meio estranha e uma dormência na alma, aquilo que eu mais sentia era vergonha, uma vergonha tremenda por não entender como tinha chegado aquele ponto e acima de tudo por perceber que eu precisava de me drogar para conseguir viver em sociedade.

Eu sei que a palavra drogar parece muito dura mas não há outra forma de categorizar este tipo de medicação que te agarra e te molda do jeito que tu precisas para enfrentar o mundo e que muitas vezes adormece a tua essência para te fazer existir de uma forma “normal” no mundo. São drogas a partir do momento em que causam uma grande dependência e tu só te apercebes disto exactamente quando a tentas deixar.

Cozinha Vegan para Principiantes by A Cozinha Verde



Caramba este 2017 ainda só vai com 3 meses e eu sinto que já aprendi imenso e os workshops em que me tenho inscrito são bastante culpados nisto, porque não só me têm permitido aumentar o meu conhecimento em algumas áreas, como tenho conhecido pessoas que admiro imenso.

Este domingo foi altura de conhecer outra dessas pessoas, neste caso a querida Filipa Range do blogue a Cozinha Verde. Eu sou uma fiel seguidora da Filipa há uns 2 anos e é muitas vezes no blogue dela que me refugio para combater o meu pouco gosto pela culinária, porque a verdade é que vocês estão carecas de saber que apesar de eu AMAR fazer pequenos-almoços, todas as outras refeições saem-me um bocado a custo.