Passatempo do Bem com Kit de Canhâmo Iswari



Eu gosto de vos mimar essa é a mais pura das verdades. Gosto de vos agradecer por todo o carinho que recebo diariamente, pelas mensagens bonitas e pelos desabafos que algumas pessoas me enviam porque sentem que podem confiar em mim e tudo isto é o que me dá mais força e mais motivação para continuar a criar a cada dia que passa mais conteúdo para vocês.

E por tudo isto e muito mais decidi trazer-vos um passatempo, novamente com aquela que vocês já estão carecas de saber que é uma das minhas marcas de eleição - a super Iswari - que tem produtos maravilhosos para tornarem o nosso corpo e o nosso espírito ainda mais saudável.

Review do Livro Diz-lhe Que Não




Eu acredito no poder das palavras. Acredito que é possível mudar a vida de alguém, inspirá-la a dar um passo em frente ou simplesmente fazê-la pensar num certo aspecto da sua vida e dar-lhe força apenas com o dom da palavra.

Acredito nesta geração de mulheres (onde também me incluo) que procura dar continuidade ao trabalho que as nossas antepassadas tiveram para nos dar o poder de voto, a força de podermos escolher a nossa profissão ou simplesmente a certeza que chegar longe está acima de tudo nas nossas mãos. Acredito em mulheres que usam a escrita como um emporwerment e que se mantêm genuínas e fiéis aos seus valores.

E é exactamente aqui que entra o Diz-lhe que Não da Helena Magalhães que me fez interromper o Ikigai um livro incrível que andava a ler, para o devorar basicamente em 2 dias e terminar com a sensação que este é claramente um livro que precisa de ser lido por mulheres e homens, que traz consigo de forma humorística grandes chapadas de luva branca a este jogo que hoje em dia é encontrar uma relação que não se baseie em one night stand.

Desapega-te do medo. Apega-te à liberdade.




O ser humano é um ser de apegos e por isso apegamo-nos a muita coisa boa mas também apegamo-nos ao mau. 

Apegamo-nos às pessoas mesmo aquelas que muitas vezes falham connosco ou não nos fazem felizes simplesmente porque somos seres de hábitos e é mais fácil viver com o que se conhece do que com o não se sabe. Apegamo-nos aos objectos, apegamo-nos ao conforto daquilo que conhecemos, apegamo-nos a estar, porque estar onde se está mesmo que não nos faça feliz também não desilude, afinal já sabemos o que esperar dali.

Deliciosos Muffins de Espinafres e Banana





Cá estou eu com mais uma receitinha neste final de semana. Vocês sabem que gosto sempre de vos trazer receitas saborosas, rápidas e saudáveis e esta não é excepção.

E antes que comecem a torcer a cara a pensar se os espinafres foram boa ideia, garanto-vos que sim, não só pela rapidez com que estes muffins desapareceram lá de casa (até o meu gato Luke roubou um) como dei a provar a uma amiga que também gostou bastante.

O melhor destes muffins é que para além de serem realmente saborosos (acreditem em mim que é verdade) são extremamente rápidos de preparar por isso, são uma excelente opção se tiverem um lanche surpresa em casa ou simplesmente quiserem algo diferente como snack e não vos apetecer perder muito tempo na cozinha.

5 desculpas sobre o treino que tens de eliminar já da tua vida




Há duas perguntas que algumas seguidores me vão fazendo sobre treino e alimentação e que são: como arranjo motivação para acordar tão cedo e ir treinar e como é que se consegue ser disciplinado para manter uma alimentação saudável.

Antes de mais eu gosto sempre de explicar que  não sou assim tãoooooo disciplinada com a alimentação como provavelmente muita gente pensa, sim eu procuro alimentar-me bem a maior parte do tempo mas estou numa fase muito relaxada da vida e por isso quando me apetece comer algo fora do meu plano habitual eu como sem qualquer neura, JURO. O segredo aqui acho que passa por conseguir encontrar este equilíbrio que te permite manter uma alimentação saudável sem sentires que é penoso ou uma seca versus aceitar que sair da rotina de vez em quando não provoca estragos se a tua base estiver bem solidificada.

A parte do exercício acaba por ser mais fácil para mim porque eu amo mesmo treinar, e sempre foi mais tranquilo para mim ser regular no treino do que na alimentação. Eu treino com um prazer imenso e apesar de para muita gente, o horário a que treino ser difícil, para mim é aquele que me permite ser o mais funcional possível, porque ao fim do dia costumo dizer que sou uma espécie de tronco. 

Ora a verdade é que por mais dicas que vos dê, nada muda se vocês não mudarem uma coisa fundamental e que são:  As desculpas.

Nós somos peritos em arranjar desculpas especialmente quando alguma coisa não nos corre bem e ao longo destes anos eu percebi que são efectivamente as desculpas que minam o sucesso de um plano alimentar ou de nos tornarmos regulares no exercício e por isso mesmo vou deixar-te abaixo 5 desculpas que precisas mesmo de eliminar da tua vida para conseguires alcançar os teus objectivos ok?

Sobre a vergonha de comer em público



Há dois anos fui a Madrid passar um fim de semana para celebrar o aniversário dele e foi também uma forma de eu fugir de toda a angústia que andava a sentir nessa altura. Estava numa fase muito má comigo própria, estávamos no final de Março - vejam o texto que sobre os dramas que Abril sempre me trouxe? - e eu sentia-me uma baleia graças às compulsões com que andava na altura. Lembro-me de não conseguir olhar para mim ao espelho sem começar a chorar e chamava-me interiormente todos os nomes possíveis. Agarrava a minha barriga e as minhas ancas com tanta força que chegava a marcar a pele numa espécie de tentativa falhada que a gordura saísse do meu corpo.

Estávamos no aeroporto e fomos jantar ao Macdonalds (eu ainda comia carne na altura) pedi um Big Mac Menu e devorei-o em 3 tempos. Entretanto o nosso voo atrasou-se imenso e eu decidi ir comprar gomas, comprei um saco gigante que mantinha escondido dentro da minha mala pessoal com vergonha que me vissem a enfardar açúcar daquela forma e comi tantas, que cheguei ao ponto de ficar tão mal disposta que pela primeira vez desde muitos anos pensei em vomitar para ajudar a que toda aquela porcaria saísse do meu corpo. Não o fiz mas pensei mesmo nisso porque no fundo sabia que vomitar era um caminho fácil para mim. Acabei por guardar o resto das gomas e uma culpa gigante apoderou-se de mim.